Se você tem a pior pernada do seu grupo de natação, não se preocupe, pois ainda é possível vencer esse obstáculo no triathlon. Entenda porque no artigo abaixo.

Recentemente, eu encontrei um texto de um ex-nadador que falava da importância da pernada (ou não)  para a performance no triathlon e o quanto os triatletas devem focar nisso.

Antes de mais nada, triatletas devem entender que o nosso esporte não é natação+bike+corrida. Ele é uma união das três modalidades em uma só, como: “Natacãobikecorrida”.  Seja no treino ou na competição, o que você treinou ontem ou a hora do dia em que nadou, provavelmente vai ter influência na quantidade de treinos de pernada que deva fazer durante suas atividades.

Claro que há situações especiais, como nas provas da ITU em que o vácuo é liberado no ciclismo e com isso a formação do pelotão, após a natação, define a prova. Neste caso a disputa pode ser definida na rapidez em que você chega à primeira bóia durante a natação. O ideal é que você chegue lá rápido. Não importa quanta energia você despendeu ou economizou nas suas pernas para o ciclismo. Se não se manter no primeiro bloco, provavelmente nenhuma energia no mundo permitirá que você consiga voltar ao pelotão principal.

Aqueles atletas que dão pernadas desde crianças, que nadaram por anos na escola e agora, praticam triathlon, para esses atletas, a pernada já faz parte da sua naturesa e assim não seria indicado mudar a técnica e deixar de praticá-las.

Mas, se você não se encaixa em nenhuma dessas situações acima, então, bem vindo ao mundo real. Eu estou falando sobre os atletas medianos, que não são nenhum peixe, mas desejam melhorar a performance no triathlon. Qual é a importância da pernada? É preciso  praticar pernada o tempo todo?

– Roupa de borracha:

Você pode usar sua roupa de borracha na maioria das competições (especialmente no Ironman). Essas roupas não, apenas, o protege do frio, como também, o ajuda na flutuabilidade, facilitando a pernada, pois permite que seu quadril não fique tão submerso. Com a roupa de borracha, você estará em uma boa posição, mesmo que você deixe suas pernas “penduradas”.

– Tempo disponível para treino:

Se você tem apenas, duas ou três horas para os treinos de natação, não precisa gastar a metade do tempo trabalhando a pernada. Você vai querer tirar o máximo de proveito do tempo que está treinando.

– Eficiência:

Faça um teste de 100m de pernada.  Veja o quão rápido você pode bater as pernas e o quão cansado se sentirá no fim. Você deve se convencer que não é dando pernadas a forma mais fácil de você se deslocar na água. Isso porque, há a fadiga muscular em sua perna que pode o prejudicar ao longo da competição. Afinal, você não quer chegar ao ciclismo com as pernas extremamente cansadas.

Porém, há uma situação em que a pernada pode ser feita no treino para uma recuperação mais rápida de uma corrida ou pedalada feita de manhã(assumindo que você irá nadar a noite). Uma pernada fácil poderá ajudar a remover produtos e  ácido lático acumulado de suas pernas, oriundos de uma corrida/pedalada forte. Você poderá fazer algumas séries de 25m em sprint como estímulo anaeróbico para compensar os efeitos catabólicos de uma corrida ou pedalada longa.

Uma outra ferramenta de treino relacionada com a pernada na natação do ponto de vista do triathlon, são os elásticos feitos com câmaras de ar,  que são usados prendendo ambos tornozelos, literalmente amarrando os pés do atleta. E quando se usa a pulbóia em conjunto com o elástico, o sentimento para o atleta é que ele está nadando com roupa de neoprene, pois a flutuabilidade aumenta assim como a carga nos ombros, portanto é um ótimo treino de força para aqueles que sentem incomodo nos ombros quando nadam com a wetsuit.

O foco dos treinos de natação deverão ser sempre de força misturada com endurance, pois como triatletas trabalham também o sistema cardiovascular nos treinos de ciclismo e corrida, o fator limitante na natação é força em ritmo de prova. Alguns de meus atletas fazem 70-80% de seus treinos com equipamentos para braço (pulbóia, palmar e elástico nos tornozelos). Portanto equipamentos para treinos de pernada, como pé de pato ficam totalmente dispensáveis.

Conclusão, não perca muito tempo tentando melhorar as parciais da sessão de pernadas da sua série. Isso não o fará chegar mais rápido no triathlon, e se você fizer uma sessão de pernadas, tenha como objetivo, melhorar seu treino de corrida e ciclismo, trabalhando no balanceamento seu sistema hormonal! É assim que treinamos para o triathlon, “Natacãobikecorrida” e não natação+bike+corrida!

Bons Treinos!
Vinicius Santana, Coach ironguides


Treine com a ironguides!

Treinamento Online Personalizado: A partir de R$450/mês

Planilhas Mensais (todos niveis ou com foco em uma modalidade): Somente R$49/mes

Planilhas por eventos:

Distancia Short (R$75 para 8 semanas de treinos)

Distancia Olimpica (R$100 para 12 semanas de treinos)

Meio Ironman (R$145 para 16 semanas de treinos)

Ironman (R$225 por 20 semanas de treinos)

Planilha X-Terra (R$100 para 12 semanas de treinos)

Planilhas de Corrida (10k, 21k e 42k – a partir de R$75)

ironguides oferece soluções esportivas para atletas e praticantes de atividade física de todos os níveis, com treinamento online ou presencial, planilhas específicas por eventos, training camps, curso para treinadores, programas de incentivo a promoção da saúde em empresas, e produtos para a saúde e o bem-estar que propiciam um estilo de vida saudável a nossos atletas

Compartilhe esse conteúdo em sua rede social
Facebooktwittermail
Siga a ironguides
Facebooktwitteryoutube
X

Forgot Password?

Join Us

Password Reset
Please enter your e-mail address. You will receive a new password via e-mail.